domingo, 22 de março de 2009

a responsabiliddade de uma amizade


- ain meu Deus.
eu tinha feito um super post. mas travou. :(
mas enfim. vamos lá d novo


Tinha falado de como aquela frase de Saint-Exupéry que diz que a pessoa se torna reponsável por aquilo que cativa é verdadeira.

meu coração tem ficado apertado. e td vez que sinto que sou importante pra alguém me bate isso, pela responsabilidade que se tem nos relacionamentos. de não decepcionar, de não magoar sem intenção, de não ficar longe, enfim... isso me afligi um pokinho. e hoje na missa fiz ligação di tudo isso com essa musica:


tenho medo de não perceber
não ver teu amor passar
tenho medo de estar distraído, magoado, ferido
e então me fechar

não sei pq a ligação, então não me perguntem.


mas isso não me deixa de todo triste. a responsabilidade.
pq as pessoas que me fazem sentir assim tão responsável são
as mesmas que me refletem Ele de algum forma.
mesmo as que tentam me tirar do meu caminho. pois me fazem lembrar dEle
e depois do passado perceber que se quer me abalam. por sou dEle. e é assim que
quero ser até o fim. e não importa o que passou. importa o que virá.
.

3 comentários:

Yarla Alvares disse...

"tenho medo de não perceber
não ver teu amor passar
tenho medo de estar distraído, magoado, ferido
e então me fechar"

eu tô com medo...
de estar distraida, magoada,ferida...

Obrigada minha amiga.
sentimentos que transpassam a tela do computador.

Magda disse...

Minha amiga, pode acreditar que está sendo muito coerente com suas 'responsabilidades'. Consegue chegar ao coração de seus amigos apenas com um olhar, com um sorriso, com o sentimento dEle.
Amo você.
E contigo estarei, por Ele e para Ele.
Até o fim.

Ejc paróquia de Pombos disse...

Amizade, assim, significa cuidado, responsabilidade e respeito com aquele que se relaciona conosco. Este sentido, se entendido em sua simplicidade, se respeitado em sua radicalidade, pode facilitar em muito as relações que encontramos em nossas vidas. Ainda acreditamos na possibilidade de agirmos corretamente. Mais ainda: acreditamos, inacreditavelmente, que agiremos assim segundo nossa própria vontade. Repetimos: tanto na amizade quanto na cortesia, há sim um duplo dever.