domingo, 31 de maio de 2009

induvidável.

apesar de sermos todos indivíduos contemporâneos, estamos cada vez mais barrocos, sempre na luta entre a fé e a razão.


uma flor seca
sem cheiro beira
a morte eterna.
mas, não!
fica.
na lembrança
daqueles que por
ela tiveram esperança
num amor
num perdão
na ausência da solidão

Um comentário:

nathalie disse...

O mais verdadeiro de todos os amores é o amor de Deus.