domingo, 28 de junho de 2009

120 - Virgindade

outro trecho dO Silêncio de Maria

Só Deus é capaz de despertar harmonias imortais no coração solitário e silencioso de uma virgem. Dessa maneira, Deus, sempre prodigioso, origina o mistério da liberdade. O coração de um verdadeiro virgem é, essencialmente, liberdade. Um coração consagrado a Deus em virgindade - e habitado de verdade por sua presença - nunca vai permirtir, não "pode" permitir que seu coração fique dependente de alguém.

Esse coração virgem pode e deve ser amado profundamente, mas permanece sempre senhor de si mesmo. E isso porque seu amor é fundamentalmente um amor oblativo e difusivo. O afeto meramente humano pode esconder diferentes e camufladas doses de egoísmo, tende a ser exclusivo e possessivo. É difícil, quase impossível, amar a todos quando se ama uma só pessoa. O amor virginal tende a ser oblativo e universal. Só a partir da plataforma de Deus podemos desdobrar as grandes energias, oferecidas ao Senhor, para com todos os irmãos. Se um virgem não abre suas capacidades afetivas a serviço de todos, estamos diante de uma vivência frustrada e, consequentemente falsa, da virgindade.

É por isso que a virgindade é liberdade. Um coração virgem não pode permitir que pessoa alguma domine ou absorva esse coração, mesmo quando amar e for amado profundamente. Deus é liberdade nEle. É possivel que o sinal inequívoco da virgindade esteja nisto: não cria dependências nem fica dependente de ninguém. Aquele que é livre - virgem - sempre liberta, amando e sendo amado. É Deus quem realiza esse equilíbrio. Assim foi Jesus.

(...) poderiamos concluir que, quanto mais virgindade, mais plenitude de Deus, e mais capacidade de amar. Maria é cheia de graça porque é plenamente virgem. A virgindade, além de liberdade, é plenitude.

Maria é uma profunda solidão - virgindade - povoada completamente pelo Senhor Deus. Deus a completa e acalma. O Senhor nela habita plenamente. Deus a povoa completamente. Essa figura humana que aparece nos evangelhos, tão plena de maturidade e de paz, atenta e serviçal para com os outros, é o fruta da virgindade, vivida na perfeição.
- inácio larrañaga -

Um comentário:

yarla alvares disse...

sabe quando é extamente isso que você precisa lçer?
pois pronto.
quer ser livre para conseguir ser toda dEle.

lindo demais crecreide, um dia eu leio esse livro! :P